PARA! (Violência Doméstica)

“Na alegria e na tristeza. Na saúde e na doença. Até que a morte nos se/pare.”
Conheceram-se. Ficaram amigos. Da amizade nasceu o amor. Amor que atravessava barreiras e obstáculos, tormentas e vitórias. Um amor que crescia dia após dia.
Um dia tudo mudou. A mão levantou, o rosto inchou, a dor não desapareceu e o amor perfeito morreu.
Não cabe na cabeça de ninguém a quantidade de pessoas que é vitima de violência domestica. Pessoas que lutaram, que se esconderam e tiveram a esperança que algum dia tudo mudasse. Contudo essa esperança morreu juntamente com elas.
TU QUE BATES … PARA E OUVE! Para de bater, de deixar marcas no corpo de outra pessoa. Para para pensar. Olha ao teu redor e vê o sofrimento que andas a causar. O que andas a fazer à tua vida? Repara no monstro que te estás a tornar, nessa realidade assustadora.
Um estalo para descarregar a tua raiva, a frustração, a tristeza que te invade.
Sentimentos sombrios que sentes pulsar nas veias, assim como no coração.
Um pontapé porque nada sai do jeito que queres, que tu planeaste.
Acredita quando te digo que nada disto vai resolver qualquer coisa.
TU QUE ÉS AGREDIDO… PARA E OUVE! Para que te consumam, que te espanquem até não teres mais forças. Não te escondas. Aliás, como se esconde algo que está à vista de todos?
És mais forte que essa mão que te acertou na cara. És mais forte que esse amor destruído.
O que é mais importante afinal? Amor-próprio ou amor por outra pessoa? Pensa em ti acima de tudo. Foge dessa realidade ilusória de “quanto mais me bates, mais gosto de ti”. É mentira e errado. Quem ama não bate, não magoa, não destrói.
Para onde foram afinal os valores? As promessas feitas? O amor?
Diz “sim, eu aceito” à vida e a ti mesmo.


CONVERSATION

16 comentários:

  1. Quem dera que quem faz realmente isso lê-se isto e conseguissem ter outra visão das coisas.
    Eu pessoalmente não entendo isso, isso não é amor em lado nenhum, é apenas uma pessoa que não tem sentimentos para com o/a parceiro/a.
    Tanto homens e mulheres sofrem com isto e quem sofre realmente de violência doméstica devia ter coragem e não ter medo de fazer queixa às autoridades, amigos, família, etc.
    Espero que um dia tudo mude, mas esta sociedade vai de mal a pior na minha opinião. Enfim!

    ResponderEliminar
  2. Não consigo compreender essa atitude. A violência não resolve nada em lado nenhum.

    ResponderEliminar
  3. Este assunto...

    R: Apesar de tudo sei que existem pessoas racistas e não posso mudar isso de forma alguma, posso, sim, contribuir para um "espaço" melhor não sendo racista. Temos de saber viver e lidar com todas as pessoas, certo?
    Ele é um estúpido e racista, tenho-lhe um ódiozinho de estimação.

    ResponderEliminar
  4. Obrigado pelo teu comentário. Concordo plenamente :D
    Não se consegue perceber o porquê de tais actos. Não cabe na cabeça de ninguém. É simplesmente desumano e sou da mesmo opinião que tu. Na violência não há amor.

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente identifico-me em demasia com este assunto. Não que se tenha passado diretamente comigo mas sim com os meus pais. E infelizmente acredito que nem toda a gente seja forte o suficiente para gritar PARA. E falo da vítima, por vezes há dependência, económica, pessoal, whatever e talvez no seu pensamento isso seja motivo para continuar a arrecadar com violência. Não sei, sinceramente, depois de tantos anos eu ainda não tenho resposta. Sei que se deve travar, sei que se tem que travar. Se não for o agredido, que sejam os amigos, a família, a sociedade! Violência Doméstica tem que ser punida!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  6. Para que se mude esta atitude de violência, primeiro tem de se mudar a atitude de que o homem é superior à mulher e que esta tem de lhe obedecer sempre. Muitas mulheres ficam e deixam-se atacar pelo medo de ser julgadas e pela ideia de dependência que ainda existe muito. É uma mudança que tem de ser feita dos dois lados. Mas, claro, quem erra mais é sempre aquele que acha legítimo atacar o mais fraco.
    Não nos podemos é esquecer também de que há muitos homens que também são vítimas de violência doméstica e a sociedade fecha os olhos, por acreditar que quando uma mulher bate a um homem "é uma brincadeira".

    R.: Londres é linda. As melhores alturas para cá vir é mesmo o Halloween, o Natal e a Passagem de Ano. :)

    ResponderEliminar
  7. Não quero comentar nada... O silêncio vale tudo.
    Parabéns pelo texto!
    Um beijinho
    (ps. já coloquei no blogue a minha experiência na In Beauty)

    ResponderEliminar
  8. R: eu gostava de fazer uma pequena frase :)
    Parabéns pelo texto. n tenho palavras, acho que disseste tudo!

    ResponderEliminar
  9. O texto está excelente. Espero que chegue a muita gente que precise.
    Beijinho*
    http://confissoespecadora.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  10. Sempre ouvi dizer que quando namorado/marido bate a primeira vez então é para esquecer. Porque quem faz a primeira faz então muitas mais.
    Uma pessoa não pode é dar hipótese e ser corajosa

    ResponderEliminar
  11. A violência doméstica é um tema bastante debatido, que por mais que seja falado e semi-compreendido, continua a ser prática exaustiva de um namoro que, à partida, nem deveria ter começado.
    É bom que toques nestes temas e que choques, especialmente com esta imagem: está brutalmente realista.

    Obrigada pelo teu comentário pelo blog, R! Sê benvinda :)

    ResponderEliminar
  12. Por mais difícil que seja, é preciso termos força suficiente para batermos a porta e não deixarmos que a situação se repita. Nenhum amor merece este tipo de submissão.

    r: Precisamente!

    Foi mesmo, o Diogo é incrível *.*

    ResponderEliminar
  13. Que texto lindo , sem sombra de dúvida
    A forma como escreves é incrível , parabéns!

    ResponderEliminar
  14. Some people only blame those problems on drugs and alcohol

    ResponderEliminar
  15. Infelizmente é mais comum nos dias de hoje :/

    ResponderEliminar

Seguidores