Às vezes

O tempo não para, independentemente de eu parar todos os relógios do mundo. O tempo não para, o tic toc avança a passadas largas. Oxalá pudesse faze-lo parar. Mas não venho falar do tempo, nem de relógios. Porém cada coisa que ditarei tem um determinado tempo para ocorrer.
A minha vida é feita de muitos às vezes.
Às vezes tudo o que eu preciso é de silêncio em vez de palavras. E outras vezes preciso de ouvir palavras de tanto que o silêncio me incomoda.
Às vezes preciso de um abraço apertado e outras vezes é necessário que eu leve um abanão e abra os olhos a certas coisas.
Às vezes faz-me bem estar sozinha e outras vezes preciso de estar acompanhada.
Tenho momentos de coragem insana e outras vezes sou assombrada pelo medo.
Às vezes sou simpática, juro que sou mas tem outras que é melhor não se aproximarem de mim. Amo simpatia mas detesto-a em excesso.
Tem vezes que quero o meu espaço e outras vezes que só quero estar colada a alguém.
Existem dias bons e dias menos bons. Uns dias desejo a noite, e noutros desejo o dia. Num dia quero o frio, no outro preciso do calor.
Às vezes sou certezas e outras incertezas.
Às vezes sou 8, outras sou 80. Sou metade de um todo.
Às vezes sou eu mesma e outras vezes continuo a ser eu mesma.

CONVERSATION

6 comentários:

  1. E é tudo isso que nos define enquanto pessoas. Não tem mal que isso aconteça, somos todos humanos e todos temos os dois lados da "moeda". O que realmente importa é a forma como lidamos com isso (:

    ResponderEliminar
  2. São as nossas imperfeições que nos fazem... nós.

    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin'

    ResponderEliminar
  3. São esses «às vezes» que nos definem e criam a nossa história!

    ResponderEliminar
  4. Tenho dias que me sinto assim também...

    ResponderEliminar

Seguidores