Ataque de Pânico

Ataque de pânico não tem nada de bonito , nem mesmo o seu nome.
É assustador em diferentes formas que nem eu consigo descrever. É algo inesperado que nos apanha de surpresa mas que não chega a surpreender-nos e sim a temer-nos.
Corro contra o tempo e o tempo corre de mim. É aí que eu percebo como segundos fazem a diferença.
O mundo para e a única coisa que queremos é calar os pensamentos confusos que se fazem sentir. O coração bate descompensado sobre um peito que achamos que não o consegue deter.  Ele bate forte e rápido como se fugisse de algo ou de mim mesma. Não bate forte da mesma maneira que bate quando olho para alguém que gosto. Bate de uma maneira louca que o consigo ouvir nos ouvidos e senti-lo em todo o corpo.
É como se o chão desabasse e a sensação de vertigem apodera-se de mim. Sou pessoa de alturas e nunca elas me assustaram tanto quanto me assusta a sensação de que não há sitio onde me possa segurar e que nada, nem ninguém pode impedir a minha queda.
A respiração que falha quando percebo que nem todo o ar que existe é o suficiente. A bolha que se forma à minha volta e em que deixo de ver ou ouvir o quer que seja.  As tonturas que deixam sem reação. E o pior de tudo…o medo.
Medo de não saber o que se está a passar. Medo do desconhecido.  
Passamos a ter medo de ter medo. É um ciclo vicioso que queremos sair mas não sabemos como. Sentimo-nos perdidos porque não sabemos como contornar a situação nem quando ela vai voltar a acontecer.
Não há hora, local, ou momento para acontecer. Tudo acontece num segundo. Um segundo que muda a nossa vida para sempre. Um segundo que se transformam em minutos e horas de medo.
O pior de tudo é sabermos que é tudo da nossa cabeça. Que mesmo que nos digam que não há razão para ter medo ou para nos mantermos calmos o nosso corpo não reage da mesma forma.
É como estar sentado constantemente com o medo e mesmo que o ignoremos sabemos e sentimos a sua presença ao nosso lado.
Deixa-se de confiar em si mesmo e é uma guerra interior que é travada todos os dias.
Respirar fundo, não pensar e vai ficar tudo bem… ou assim eu espero.

CONVERSATION

4 comentários:

  1. Só tive o princípio de um, há uns anos, e chegou-me!

    ResponderEliminar
  2. Que me recorde, nunca tive, mas deve ser um sufoco completo :/

    ResponderEliminar
  3. Sei bem o que isso é, já cheguei a ir para o hospital à conta disso e é horrível.

    ResponderEliminar
  4. aiii, como entendo :( espero que estejas bem!

    ResponderEliminar

Seguidores