Violência

Hoje venho falar não de assuntos de sentimentos ou de paixões que tenho mas sim de um assunto sério e de uma triste realidade, que não existe apenas no nosso país como em todo o mundo.
Violência. Só esse nome me causa um arrepio. Vivo num país que se orgulha de ser da sua terra, que se apaixona facilmente pelas simples coisas e que acredita ser nobre , valente e imortal. Vivo num país que é tudo isso e muito mais, mas em que acontecem coisas que me fazem querer fechar os olhos e dizer “ não! Como é possível?”.
Expliquem-me, como alguém consegue assistir a um jovem de 15 anos ser agredido com pontapés na cabeça e não fazer absolutamente nada? Foi um misto de emoção, uma raiva que se apoderou de mim, de uma imponência total por não conseguir ajudar.
Não sofri mais do que aquele rapaz sofreu, mas o meu coração acelerou e eu quis atravessar o ecrã da televisão e parar com aquele terror para logo a seguir o mesmo apertar-se como se o ar tivesse sido roubado. Não pude mais que sofrer silenciosamente, com os meus pensamentos e perguntas às quais não obtive resposta.
A dor que aquela mãe deve ter sentido ao ver o seu filho naquele estado. A bola de sofrimento que foi criado por uma ação estúpida, irresponsável, irracional. 
Que ser é este que filma, assiste, incentiva e não faz nada? Que ser é este que agride e ainda pede desculpas depois? A desculpa não apaga a dor que foi deixada. Essa dor permanente que nunca sai da nossa memória. São demónios que foram criados por motivos sem sentido algum.
É uma nação que olha para este tipo de vídeos, sente pena mas que se esquece passado uns dias. Podem passar tinta branca por cima de uma outra cor, mas esta última sempre estará lá e com o tempo voltará a se fazer ver. É a triste realidade que acontece todos os dias nas sombras ocultas que fingimos não ver ou que não queremos acreditar.
E se as posições se invertessem? Ninguém gosta de ser a vítima mas todos podemos sê-la. Todos se esquecem das consequências e não pensam nos seus atos. É um tiro que é disparado no escuro e que acerta o seu alvo com uma imensa precisão. É uma marca que nunca irá sarar. É uma bomba que abala os corações das pessoas mas não os move.
Ninguém sabe o que a outra pessoa passou até passar pelo mesmo.
Independentemente do que tivesse acontecido, nada justifica a violência. Fracos são os que batem para se sentirem superiores.
Quem cala consente e quem não faz nada apoia.
São minutos da vossa vida para uma reflexão. São consequências de atos que têm de ser pensados. São escolhas que são feitas. É uma realidade que nem devia existir mas existe e persiste.
Não é dos fantasmas e dos monstros que vivem no escuro de que tenho medo, é dos monstros vivos que se vestem na pele de humanos e que se encontram no mundo lá fora.
Continuamos a colocar vírgulas no lugar de um ponto final e o pesadelo nunca terá fim.


CONVERSATION

0 comentários:

Enviar um comentário

Seguidores