Ouve o teu coração, sente os teus pensamentos...

Os mistérios da vida, ninguém sabem quais são, apenas que eles existem. Mas os mistérios que escondemos, estão ainda por descobrir.
Ouves cada passo que dás, cada batida que vibra em ti, cada segundo que passa nos ponteiros do relógio. Sentes a alma que te dói, que se sente acorrentada em espera de liberdade. Sentes a energia que envolve o ar por onde passas. Essa energia explosiva e deslumbrante que surge como uma espécie de íman que atrai tudo e todos.
Ouves os teus pensamentos, sentes o coração bater. Sabes que nem sempre ouves e sentes o que queres. Por vezes é como um labirinto, que por mais voltas que dês, a saída nunca se encontra à vista.
Os demónios que cada um de nós carrega são muitos e pesam. Escondem-se na escuridão, invadem-nos a mente perdida e fazem-no seguir um sentido sem sentido.
Nas asas de quem carrega amor, é possível observar-se as feridas abertas que custam em sarar. Nas asas de quem carrega sentimento mais simples e puro, espera-se que o tempo cure, que passe e que faça esquecer as dores sentidas.
Percorro ruas vazias, onde sei que estão cheias de fantasmas. Cada passo que dou é um assalto a pensamentos, a memórias. Cada passo que dou é cheio de emoções.
Saudade que se nega a ir embora, amor que prevalece, tristeza que demora a abandonar e liberdade que custa a alcançar.
Liberdade não se atinge só exteriormente. Posso correr tanto até os pés doerem, posso gritar tão alto até que a voz me falhe, posso viver tanto o quanto a vida me tem para dar. Mas só temos a liberdade total quando nos desprendemos daquilo que nos suga, quando aprendemos a ignorar as sombras que nos seguem para todo o lado, quando nos permitimos não só viver mas sim sentir.
Liberdade é conseguir sair da espiral de pensamentos que nos induz em confusão. Liberdade é hipérbole para almas tão pequenas quanto as nossas.
Irá sempre haver gelo que arrefece o corpo e a mente, e fogo que aquece o coração. Irá sempre haver demónios que te assombram e sentimentos que não vão em vão. Haverá sempre saudade que mata, tristeza que corrói, felicidade que trata e amor que não se destrói. Haverá sempre uma razão para as coisas acontecerem.
Todas essas coisas sempre existirão. Não cabe a ti destrói-las, mas sim lidar com elas. Precisamos lidar com os problemas, cara a cara, porque de costas voltadas as facas perfuram mais facilmente e a dor será maior se for ignorada.
Estás acorrentado aos teus pensamentos, a chave que dá acesso à saída só é uma: o teu coração. Ouve o teu coração e sente os teus pensamentos.

CONVERSATION

1 comentários:

  1. Adorei! "Haverá sempre saudade que mata, tristeza que corrói, felicidade que trata e amor que não se destrói. Haverá sempre uma razão para as coisas acontecerem." nem mais!

    ResponderEliminar

Seguidores